Segunda Via de Caderneta de Vacinação

É importantíssimo para o seu filho sempre tomar todas as vacinas que garantem mais proteção contra alguns tipos de doenças mais frequentes que podem aparecer durante a infância ou até mesmo a pré-adolescência. Veja nesse artigo como conseguir Segunda Via de Caderneta de Vacinação.

Por isso guarde-as muito bem e de preferência em algum local de fácil acesso. A dica inclusive, para quem puder, é ter também em mãos uma cópia e mantê-las em uma pasta a parte, ou então fazer um backup em seu computador.

publicidade:

2 Via Carteira de Vacinação

Os postos de saúde não possuem os registros de vacinas que foram aplicadas em seu filho. Ou seja, se você perdeu, terá que vacinar novamente, a não ser que consiga fazer a comprovação.

publicidade:

Entretanto, a única vacina que possui registro é da Febre Amarela, pois esta fica registrada pela Anvisa.

Caderneta de vacinação infantil, existe 2ª via?

Caso tenha vacinado em clínicas, procure entrar em contato para saber se não há algum registro disponível e que você possa utilizá-lo para fazer uma nova carteira.

Um fato importante e que poderá te ajudar bastante evitando que a criança tenha que tomar novamente todas as vacinas é perguntar pelo Cartão Espelho.

Alguns lugares fazem o controle organizado do registro das suas vacinações, pergunte no seu Posto se há algum recurso assim disponível.

Encaminhe o seu filho para um médico para que ele possa fazer uma avaliação caso nenhuma das alternativas tenha sido possível.

Com a orientação dos pais e com o fornecimento das informações será possível identificar as vacinas necessárias e qual foi a última dose, levando em consideração também a idade da criança.

Há exames que podem identificar que estamos imunizados?

As vacinas de patógenos vivos, podem sim ser identificadas através de algum exame de sangue, embora as mesmas não tenham tanta relevância do ponto de vista médico.

A única maneira mesmo de comprovar que a pessoa foi ou não vacinada é portanto a sua carteira de vacinação.

Inclusive só é considerado válido aquela que teve um registro válido por uma corporação autorizada, afinal, você pode estar imunizado porque já teve a doença alguma vez, e não necessariamente por ter tomado a vacina.

Segundo os médicos, é melhor tomar a dose repetida da vacina do que ficar sem tomar, a única exceção no caso é quanto a vacina da febre amarela, por isso o seu registro é feito de maneira diferenciada.

Pode-se tomar vacinas antes do tempo determinado?

Não, as idades mínimas para todas elas devem ser respeitadas. Alguns médicos dizem que provavelmente não há risco de se vacinar antes da hora, mas ainda não foram feitos estudos para comprovar segurança para determinada faixa etária, além é claro, de não haver a indicação da vacina.

As recomendações etárias levam em consideração o período da vida de uma pessoa em que ela tem mais chances para desenvolver determinadas doenças.

Um exemplo do que estamos falando é a vacina da tríplice viral (caxumba, sarampo e rubéola), que ao ser aplicada em um sistema imune imaturo da criança pode não ser suficiente para conter os vírus vivos, o que podem levá-la ao adoecimento.

publicidade:

Em casos de pessoas com alergia, o processo é mais complicado?

É bem difícil que haja alguma contraindicação, entretanto elas existem, em pessoas que, por exemplo, já sofreram um choque anafilático é contraindicada as vacinas de sarampo, caxumba, rubéola e febre amarela, é claro que SEMPRE, deverá ser feita a avaliação com um profissional qualificado da área da saúde para dizer o que você deve ou não tomar.

Idade Vacinas
Ao nascer – BCG

– Hepatite B

2 meses –Pentavalente1ª dose (Tetravalente + Hepatite B 2ª dose)

– Poliomielite 1ª dose (VIP)

– Pneumocócica conjugada 1ª dose

–Rotavírus1ª dose

3 meses – Meningocócica C conjugada 1ª dose
4 meses –Pentavalente2ª dose (Tetravalente + Hepatite B 3ª dose)

– Poliomielite 2ª dose (VIP)

– Pneumocócica conjugada 2ª dose

–Rotavírus2ª dose

5 meses – Meningocócica C conjugada 2ª dose
6 meses –Pentavalente3ª dose (Tetravalente + Hepatite B 4ª dose)

– Poliomielite 3ª dose (VIP)

9 meses – Febre Amarela
12 meses – Pneumocócica conjugada reforço

– Meningocócica C conjugada reforço

– Tríplice Viral 1ª dose

15 meses – DTP 1º reforço (incluída napentavalente)

– Poliomielite 1º reforço (VOP)

– Hepatite A

– Tetra viral (Tríplice Viral 2ª dose + Varicela)

4 anos – DTP 2º reforço (incluída napentavalente)

– Poliomielite 2º reforço (VOP)

– Febre amarela reforço

9-13 anos – HPV 2 doses
Adolescentes, Adultos e Idosos – Hepatite B (3 doses a depender da situação vacinal)

– Febre Amarela (1 dose a cada 10 anos)

– Tríplice Viral (2 doses até os 20 anos ou 1 dose em > 20 anos. Idade máxima: 49 anos)

– DT (Reforço a cada 10 anos)

Garantir que a criança/adolescente tome as vacinas no tempo certo é uma obrigação dos pais. É um cuidado que vale a pena e garante que seu filho cresça sempre saudável  e livre de doenças que possam vir debilitá-lo.

Fonte da tabela: PebMed.

Veja também:

publicidade:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *